sexta-feira, 30 de dezembro de 2011

Erro de tempo



Amor,
Coisa estranha a nostalgia que toma conta das partículas preguiçosas do meu pensamento em épocas do fim. Eu hoje joguei tanta coisa fora, eu vi o meu passado passar por mim. Lembrei uma menina de cabelos quase loiros deitada em um quintal cheio de folhas pelo chão. Lembrei um sol que fazia os olhos se fecharem e o sorriso se espichar porque era sol de vida. Era uma vez naquela época uma guria que sonhava em plantar estrelas e você caçoava dela porque as estrelas moravam no céu, plantas cresciam no chão.
A gente sempre sente falta do que perdeu, mas por que me abate essa coisa ardente no peito que me faz sentir falta do que sou? É como, amor, se eu me perdesse em cada esquina, como dizia uma música ou um filme, não me lembro. Sabe, como se eu fosse em cada água de chuva, em cada lágrima boba, cada esbarrão ou abraço de amor. E onde eu estou que não me acho?
Não há reclamação, o ano foi lindo. Vieram tormentas porque eu gosto de olhar o céu pedrento e pensar na tempestade que virá. Foi de linha a construção do meu sonho...
Mas chega essa hora e eu fico pensando se poderia ter sido mais. Não me quero pela metade. Tem de ser inteiro porque do contrário perde a intensidade, água morna não vira chá e nem gelo.
Acho que foi pro lixo a consideração de que é preciso agradecer e pedir perdão. Dane-se se hoje eu quero só estar ao seu lado e ficar calada, quero você falante, fazendo mil planos para o ano que virá e me incluindo em cada um deles. Quem se importa se hoje eu queria só um espacinho de tempo perdido para poder ter medo de estar me tornando a realização de um sonho que eu não sei se era o melhor a se sonhar?
Talvez o correto fosse resgatar lá do lixo então o passado, aspirar um pouco e pintar de tinta nova. Futuro velho.
Os outros achariam a maior graça do mundo, mas amor, acho que pra ser feliz preciso aspirar e sentir o cheirinho de naftalina e mofil. Acho que nasci no tempo verbal errado.

(Ao som de Os Paralamas do Sucesso - Tendo a Lua)

2 comentários:

  1. quantas vezes já me senti no tempo errado também? mas acabei aprendendo que sempre estou no tempo que tenho que estar, e por mim mesma, só posso trazer daquele outro tempo as coisas que me fizeram bem.

    feliz ano novo :)

    ResponderExcluir

Lembre-se que você me faz feliz. Críticas serão sempre aceitas, desde que você use de um mínimo de educação. Eu jamais ofendo ninguém, tente prezar a reciprocidade.
Beijos!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...