terça-feira, 13 de abril de 2010

Paixão

'Mas não tem nada não,
Eu bem que me conheço
Sei que um dia viro a mesa
Mudo de endereço...'

Ele sabia que seria sempre assim, a mãe já havia dito, mas ela toda cheia de si retrucara que era implicância de sogra, e o pobre coitado ficou sem saber muito o que fazer, coração apertado de paixão por aquela doida.
Agora era isso, ele Vasco, ela Flamengo, ele do rock, ela do samba.
Ideia dela assistirem ao jogo no Maracanã, bem avisado ele sabia que não ia prestar, vascaino que se preze não assiste jogo com flamenguista, dá azar. Mas a danada sabia como conseguir as coisas e voltou para casa atentando o rapaz, ele cheio de si com o orgulho ferido ainda vestindo a camisa cruz-maltina engolia em seco por amor mesmo, não ia brigar com ela por isso.
Mas a carne é fraca e o santo tem pés de barro, deu na lua dele de falar e foi aquele turbilhão de desaforos típicos de dor de cotovelo de fim de campeonato.
- Você não pode falar nada, você viu, ele roubou!
Feito criança ele quase chorava. Ela gargalhou na cara dele e beijou aquele escudo tão abominável aos olhos dele.
- E quer saber mais, se você beijar esse escudo de novo eu não encosto em você o resto da noite, sua... sua... sua, ah, sua ladrona também!
A moça faceira morreu ainda mais de rir e já na garagem arrancou a blusa e beijou novamente o escudo, fazendo graça pra ele.
Cheio de dor ele foi pro quarto, deixou ela de qualquer jeito na sala, sem se importar, vexame ser taxado assim de perdedor pela mulher que se ama, não ia ficar assim!
Ela bateu na porta com jeito e foi se achegando ao colo dele, já despida do uniforme rubro-negro, vestido o pijama e com os cabelos molhados do banho recém-tomado.
- Seu besta! Você sabe, nossos filhos serão 'mengo', se eu fosse tu não estressava não, nego, meu coração é preto e vermelho, mas ele é só seu. Quer meu coração flamenguista?
Pensando bem no que mãe não tinha lhe explicado sobre as mulheres ele olhou pro fundo dos olhos dela, sentiu o cheiro bom que só ela tinha depois do banho. Deu de ombros, era o destino e se permitiu resmungar ainda antes de cair nos braços dela:
- Mas que foi roubado, foi.


Um comentário:

  1. As diferenças tornam a vida muito mais interessante.
    Paixão é isso aí!

    ResponderExcluir

Lembre-se que você me faz feliz. Críticas serão sempre aceitas, desde que você use de um mínimo de educação. Eu jamais ofendo ninguém, tente prezar a reciprocidade.
Beijos!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...